O “novo” conceito de Growth Hacking

7 de janeiro de 2019

O crescimento de qualquer empresa se dá por várias medidas, desde que haja ações estratégicas com objetivos e metas acompanhadas passo a passo. Isso significa que se você estava pensando que o conceito de Growth Hacking é uma novidade e que, através de uma receita de bolo, sua empresa vá crescer bem acima do esperado, você está enganado. Isso porque os conceitos são os mesmos de sempre e levam palavras “lançadas” no mercado apenas como atrativo para vendas de serviços. Se cruzarmos os principais conceitos de Growth Hacking você vai perceber que não tem nenhuma novidade no seu significado e na prática, pois ele une as estratégias fundamentais em busca de melhores resultados e performance de vendas. Para ficar mais fácil, cruzamos algumas informações coletadas na internet e pontuamos os seguintes itens:

  • Otimização (mais ágeis e eficazes): melhorias nos processos que devem ser tanto interno na cultura organizacional como externo através das ferramentas de comunicação online;
  • Funil de conversões: que trata das estratégias de conquista de potenciais clientes e táticas de nutrição e manutenção dos clientes;
  • Uso de experimentos com palavras-chave e call to action: que busca os melhores termos de pesquisa e “chamadas” para ações como tráfego no site, preenchimento de formulários, entre outros recursos;
  • Comunicação rápida: por meio de chatswhatsapp e outras ferramentas pertinentes a cada um dos segmentos de mercado;
  • Otimização de sites: programação com tecnologia atual e condizente com os sites de pesquisas, incluindo meta tags pertinentes (palavras-chave escondidas na programação para gerar resultados de pesquisa);
  • Criação de landing pages: páginas únicas (online) com informações e atrativos para captação de potenciais clientes que passam a entrar no processo de funil de conversão.
  • Análise de dados: através de analytics, relatórios do Google Ads (ou somente Ads, determinado pelo Google em 2018), relatórios de plataformas próprias de redes sociais, relatórios de softwares ou aplicativos de análise e relatório de vendas ou aquisição de serviços;
  • Monitoramento: plataformas que monitoram as menções de marca ou campanha que possam controlar e evitar crises;
  • Gestão de crises: saber lidar de forma assertiva com as reclamações ou comentários ruins sobre a marca ou campanhas;
  • Investimento correto em relação aos objetivos de campanha online, participação em leilão nas buscas de palavras-chave ou outras plataformas de Google como a de Vídeo, Aplicativos, Shopping, entre outros.

Percebam que estes principais itens já devem ser considerados como indispensáveis em qualquer empresa ou agências de marketing digital de qualidade. Em outras palavras, não existe novidade ou “segredo” para o sucesso senão a excelência de um bom trabalho estratégico. Os novos conceitos apenas servem como um pretexto para unir ou chamar a atenção para todas as estratégias necessárias de um “marketing do futuro”.

Quer conhecer uma agência de marketing digital com estas e muitas outras estratégias fundamentais para alta performance e aceleração comercial? https://b2s.marketing